Uma PHormula bem aplicada

por PHIL PERES

Os Arte Sacra foram uma banda de Death Metal Progressivo e Jazzístico da Amadora que nos seus 10 anos de existência presentearam-nos com 2 EP’s/Demos e este álbum de 2007.

Infelizmente, o disco nunca viu a luz do dia, tanto a nível físico como em suporte digital oficial.

Mais um caso entre tantos outros no Metal em Portugal…mas afinal o que traz este disco de especial para ser divulgado aqui, perguntam vocês e muito bem?!

Este disco, na minha humilde opinião, seria o sucessor, dentro do género, do álbum “Abstract Divinity” dos almadenses Thormenthor. Riffs contagiantes, uma técnica acima do normal sem se perder em devaneios desnecessários, um grande trabalho de baixo, jazzístico a tempos, com melodia q.b. graças não só às suas guitarras como também ao excelente uso de teclas e uma voz que, apesar de não agradar a todos, quanto a mim encaixa na perfeição nos 9 temas que fazem parte deste disco “engavetado”.

Desde as referências a Death, passando por Pestilence da fase “Spheres”, aos Cynic, sem perder o foco que é a sua música, original, coesa e madura. Cynic é provavelmente a banda de comparação ao que temos aqui, com o excelente uso de samples aqui aplicados a serem disso um belo exemplo.

Destaques: “Voyage At the Other Side of Time”, o tema de abertura, “Regression of Time”, talvez o tema mais Chuck Shuldiner do disco e ainda “Prophets of Death” com as suas escalas de teclado algo arábicas.

Baú #6: Arte Sacra – “Formula”

Baú do Dr. Phil |