Views

“Freaks Pesadões na Cidade”

Os Beatniks formam-se em 1965 pela mão do baixista João Ribeiro, mas apenas em 1970, após um breve interregno na carreira, optam por uma linguagem baseada no heavy rock.

Logram então alcançar um alinhamento estável, nas pessoas de José Diogo (voz), Rui Pereira “Pipas” Silva (considerado um dos melhores guitarristas-solo daquela época), João Ribeiro e o lendário Mário Ceia (bateria).

Nesta fase (que é a que nos interessa no âmbito da rubrica Arqueologia Metálica), são facilmente identificáveis na sua música influências dos Grand Funk Railroad, Black Sabbath, Cream, Uriah Heep, Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Rush ou King Crimson.

Discografia Tema a Tema

“Christine Goes to Town” [1971, Tecla]

Em 1971 editam o 7″ EP “Christine Goes to Town”, reunindo o tema-título, “Litlle School Baby” e “Sing it Alone”.

Nos primeiros dois minutos, “Christine Goes to Town” remete-nos para uma ambiência western, passando a uma linguagem musical arrastada, algo doomy, antes de um final de ambiência militarista.

Com harmonias vocais lembrando os The Beatles, “Little School Baby” revela bem, nos dois solos disponíveis, por que razão “Pipas” Silva era justamente considerado um herói da guitarra no Portugal dos início dos anos 70.

O breve início hard blues (uma linhagem que os Beatnicks poderiam ter explorado mais na sua carreira) em “Sing it Alone” dá passagem direta a uma abordagem sabbathiana pesadona. Surpreendente e muito bem-vindo é o solo de piano que encerra o tema.

“Money/Back in Town” [1972, Tecla]

O single “Money/Back in Town” mantém a toada pesadona, em particular no segundo tema, arrastado e pleno de groove, não obstante a passagem melódica sensivelmente a meio.

Heavy rock da mais fina água, que, não fosse o período histórico-político vivido em Portugal (com a Revolução a dois anos de distância), poderia ter levado os Beatniks a voos interessantes no estrangeiro.

Rui “Pipas” destaca-se novamente através das suas performances imaculadas. Logo após o lançamento do single o guitarrista abandona para se juntar aos Albatroz.

“Somos o Mar/Jardim Terra” [Alvorada, 1978]

Em 1978, já sob a designação Beatnicks (incluindo um “C” na grafia), é editado o single “Somos o Mar/Jardim Terra”, sendo a formação constituída por Tó Leal (voz), José Casanova (guitarra), Ramiro Martins (baixo), António Emiliano (teclados) e Luís Araújo (bateria). Lírica e musicalmente, a banda explora neste registo um conceito holístico e ecologista.

“Somos o Mar” é um tema fabuloso, de puro Heavy Metal, abrilhantado por cativantes solos de guitarra e arranjos simples mas bastante eficazes nos teclados. No extremo oposto, “Jardim Terra” assume-se uma balada progressiva, demasiado sustentada nos teclados para seu mal. O duplo registo vocal, com as vozes sobrepostas na maior parte do tema, resulta mal, prejudicando-o.

Curiosidades

Em 1971 o grupo atua nos festivais de Vilar de Mouros e no Gamela (Baía de Vigo, Espanha).

Jorge Palma (ex-Sindicato) chega a fazer parte da banda, sensivelmente em 1971.

Já enquanto membro dos Albatroz, e cumprindo na altura o Serviço Militar Obrigatório (SMO), Rui “Pipas” morre a 30 de novembro de 1972.

Em outubro de 1971 João Ribeiro é incorporado no SMO. Os restantes membros dos Beatniks exilam-se na Bélgica para evitarem também ser incorporados (de relembrar que a Guerra Colonial só terminaria com a Revolução do 25 de Abril de 1974).

Ramiro Martins (falecido em 2000) gravou e misturou “Darkside”, o primeiro álbum dos Sacred Sin.

Lena D’Água (então conhecida como Helena Águas) fez parte dos Beatnicks, embora não tenha gravado qualquer registo com a banda. Viria a casar com Ramiro Martins.

A banda ainda publica o single “Magia” (1981) e o álbum “Aspetos Humanos” (1982), com selo da RT, que exploraram a sonoridade New Wave.

Em 2008 a Portuguese Progressive Pearls (PPP) edita o LP em vinil amarelo (limitado a 400 exemplares) e vermelho (limitado a 100 exemplares) intitulado “Heavy Freaks Back in Town”, que reúne todas as canções gravadas entre 1971 e 1978.

Dico
30.05.2021

Arqueologia Metálica #1 | Beatniks/ Beatnicks

Arqueologia Metálica |