Views

“Todos os sentidos em nível máximo”

Este mês as escavações arqueológicas fazem-se na zona de Sacavém, onde, em 1974, se forma o grupo de baile Melodia Quatro, que ainda nesse ano muda a designação para Hobnob. A abordagem musical sofre uma inflexão para o hard rock.

Constituídos pelo ex-Hosanna Luís Miguéns (voz e guitarra), João Manuel Mateus (baixo), José Manuel Alves (teclados) e Fernando Moura Alves (bateria), a banda passa a interpretar covers dos Uriah Heep, Black Sabbath, Deep Purple, Grand Funk Railroad, Jimi Hendrix, entre outros.

Posteriormente, compõem originais e expandem, também, a sua sonoridade ao jazz rock.

Discografia

“Micro” [1981, Musicando]

Em 1981, já em pleno boom do rock português, mudam a designação para MICRO, editando um único registo, o single homónimo, com temas dos Hobnob.

Se no lado ouvimos “O Sonho”, uma peça do mais frenético e tecnicista Jazz Rock, no lado B “Palco nos Sentidos” honra o puro hard rock, exibindo um refrão fortíssimo, que os fãs dos Hobnob cantavam a plenos pulmões nos espetáculos.

Sim, os fãs dos Hobnob. Na verdade, a abordagem mais técnica dos Micro no campo do jazz rock não agradou ao público, vendo-se a banda na contingência de recuperar o nome Hobnob, assim como o anterior repertório ligeiro e os temas hard rock.

Formação que gravou “Micro”:

José Carvalho: voz e percussão
Luís Miguéns: guitarra
João Manuel Mateus: baixo
José Manuel Alves: teclados
Pajú: bateria

Luís Miguéns: guitarra

Curiosidades

Os Hobnob mantiveram-se ativos por muitos mais anos, tendo, inclusive, chegado ao novo milénio.

Dico
04.07.2021

Arqueologia Metálica #2 | Hobnob/ Micro

Arqueologia Metálica |