Thormenthor – “Dissolved In Absurd”

“Absurdamente divino”

Por Phil Peres

Thormenthor, oriundos de Almada, são uma das mais antigas bandas do panorama nacional ao que ao metal extremo diz respeito. Aparecem em finais de 80 e, neste período, editaram algumas maquetes que misturavam o Death com o Thrash e, arrisco mesmo dizer, algum Black na última demo intitulada “Self Immolation”. Outra banda que também fez uma mistura foram os Braindead na segunda maquete (sobre a qual já escrevi num dos baús). Em 1991 editam a sua última maquete, “Dissolved In Absurd”. Esta maquete tem 3 temas, todavia nesse mesmo ano, essa mesma demo foi reeditada pela Slime Records em formato vinil (com dois temas) e o terceiro (faixa título) sai numa K7 à parte. A título de curiosidade, a capa desta maquete viria a ser, de certa forma, reutilizada na “Birth Of Tragedy” na qual a banda também apareceu. Outra curiosidade é que os Thormentor possivelmente terão sido a única banda de Metal Nacional que, na época, editou um lançamento nos 3 formatos (o aparecimento em CD ocorre na compilação “Mortuary Vol.1 em 1993). Arrisco dizer que o “Dissolved” assinala o nascimento do Death Metal em Portugal, é quase como se fosse um ponto de viragem (à semelhança da “Seeds” de Procyon em ´89). Tecnicismo, melodia, agressividade e brutalidade elevados ao extremo em apenas 20 e poucos minutos. Todas as faixas merecem aplausos, contudo queria salientar o riff inicial da “Pulversing” que abre o disco de uma maneira inesquecível, daqueles riffs que podem ser repetidos milhentas vezes e não cansam. Na minha óptica, atingem o seu apogeu em ´94 com um disco um tanto incompreendido de tão à frente que estava ora cá dentro, ora lá fora. O magistral “Abstract Divinity” que, honestamente, espero ver reeditado o quanto antes.

Baú do Dr. Phil #42: Thormenthor – “Dissolved In Absurd”

Baú do Dr. Phil |