Holocausto Canibal – “Gonorreia Visceral”

Obsessão pelo Gore

Por Phil Peres

Oriundos do Porto, são um dos nomes mais antigos do som extremo nacional que, passados tantos anos, ainda continuam no activo. Os inícios dos anos 2000 foram interessantes por cá no que à música extrema diz respeito, com nomes como Bleeding Display, Unfleshed, Pestifer, Destroy, Underneath, Neoplasmah, os veteranos Grog com um novo LP e, entre outras, os Holocausto Canibal. Após a maquete “Ensaios ’98”, que foi bem recebida, dois anos mais tarde, editam, pela nacional So Die Music, o primeiro álbum (mesmo com a sua curta duração) “Gonorreia Visceral”. Além deste lançamento, a SDM viria a lançar o segundo registo dos HC e o debut album de Corpus Christii “Saeculum Domini”, sucessor da icónica demo de estreia “Anno Domini”. Samples de filmes de terror/horror, harmonia, caos, brutalidade, Death Metal e gore… muito Gore no seu estado mais grotesco, compactados em 18 minutos frenéticos. A audição (e até mesmo adição à coleção) é indispensável para os fãs deste tipo de registos, cada vez mais raros nos tempos que correm. Destaque para o hino “Empalamento”, tema que ainda hoje é tocado vezes sem conta nos concertos ao vivo. Disco gravado nos Rec’N’Gore Studios em 2000.

Line up: Carlos – Voz; Zé Pedro (Grunt, Dementia 13, The Ominous Circle e dono da Larvae Records) – Baixo; João Lamela – Bateria e Nuno Pereira (Happy Farm, Tek.Analogy, Buried Alive) – Guitarras.

Baú do Dr. Phil #44: Holocausto Canibal – “Gonorreia Visceral”

Baú do Dr. Phil |