Views

Mars Productions
Abril 2021

Rosa Soares

A segunda cassete da coletânea de metal açoriano, iniciativa do Museu do Heavy Metal Açoriano é dedicada aos In Peccatum, uma das bandas nacionais que mais me impressionam.

Apesar dos seus poucos lançamentos, ao longo dos 23 anos de existência – duas demos e dois EPs – a verdade é que é impossível ficar indiferente ao som doom/gótico tão bem executado por esta banda micaelense.

A cassete, sob o título “The Early Years 1998 – 2000”, contém as duas demos lançadas nos anos referidos: “In Beauty” (1998) no lado A e “Just Like Tears” (2000) no lado B.

“In Beauty”, não sendo ainda no seu todo o som com que os In Peccatum se vão identificar, tem já algo de doom/gótico, e na inexperiência que a banda demonstra, somos já capazes de identificar o seu potencial instrumental e vocal, o que nos deixa curiosos para ouvir o Lado B e a demo que foi lançada dois anos depois. Retiramos então a cassete do deck, viramo-la e voltamos à audição. Surge agora “Just Like Tears”, a demo de 2000 e aqui sim, os In Peccatum já assumem a sua identidade, que se viria a consolidar com o fantástico EP, “Antília”, em 2002.

A voz grave e forte, os instrumentais ricos e toda a ambiência que os In Peccatum criam na sua música, conduz-nos a momentos de audição musical em que são despertos todos os sentidos com que a música se sente. Tivessem estas demos um som mais “límpido” e a experiência de audição seria ainda mais envolvente. No entanto, o facto de terem sido gravadas tal como o foram na altura, sem que o som fosse melhorado, incute algo de emocional à sua escuta, o que é sempre muito apreciado por quem gosta da música no seu todo, incluindo a sua história.

Agora só nos falta um próximo álbum, porque os In Peccatum já estão há demasiado tempo sem lançamentos.

In Peccatum – “The Early Years 1998-2000”

Discos |