Views

Brutal Records
Setembro 2021

Rosa Soares

“The Cold and the Craving” é o álbum de estreia dos Never End… e que estreia! Fundados em 2007, e com um EP lançado em 2014, “The Long Lost Signal”, os Never End revelam toda a sua potencialidade neste álbum, que nos surpreende pela sua maturidade e consistência.

Composto por nove temas, um deles instrumental, este álbum não se fecha num único estilo ou definição conseguindo um equilíbrio pouco habitual entre metal, grunge, hardcore e até hard rock.

O álbum começa com “Nightmares”, um tema rápido e assertivo, com aquela contundência/rudeza que caracteriza a voz predominante de todo o álbum, não sendo, em momento algum, desconfortável ou agressiva em demasia. É uma boa porta de entrada para os oito temas que se seguem. Chegados à quarta-faixa somos surpreendidos por um melódico e, atrevo-me até a dizer, quase idílico e näif instrumental, “Endless Seasons”, cuja beleza e envolvência nos faz esquecer a ausência de voz, que até aí e daí em diante, é tão forte e poderosa em todas as composições. “Building Shields” é um dos temas que, no início nos pode remeter para o universo mais hard rock e que rapidamente passa para o registo mais agressivo e rasgado, intercalando-os, como se fosse um dueto. “The Cold and the Craving” é vocal e instrumentalmente dinâmico, com uma secção rítmica magistral que dá um toque de urgência às composições, tal como se verifica com a agilidade do tema “Soul Plague”. Terminamos a audição com “Driven so Far”, de voz melodiosa e a tocar o registo mais rocker.

Gravado, misturado, masterizado e produzido pelo já conhecido e reconhecido Fernando Matias (The Pentagon Audio Manufacturers), “The Cold and the Craving” foi lançado pela Brutal Records.

Destaco o artwork da capa, de autoria de Moon Ring Design, onde a dualidade e a coexistência da humanidade entre a doçura e o agressivo, o sonho e o pesadelo, a vida e o seu fim estão magnificamente ilustradas, remetendo de imediato para a mensagem central de todo o álbum.

Com mais de 30 temas no seu repertório, mais de 80 concertos e dois EP’s não lançados, esperamos que este ritual de lançamentos de sete em sete anos não seja para cumprir, e que muito mais cedo tenhamos outro álbum dos Never End.

Never End – “The Cold and the Craving”

Discos |