Banner Top

Assistir a um concerto da digressão Soombra é uma experiência que desafia as expectativas e revela uma nova dimensão do talento e da criatividade dos Moonspell. O ambiente é mais íntimo, as luzes são suaves e há um silêncio ansioso e incomum entre o público. A incerteza transforma-se em expectativa quando a primeira melodia começa a encher o ar.

O público, uma mistura de jovens e veteranos seguidores, responde com entusiasmo a cada interpretação de um repertório que é uma cuidadosa mistura de clássicos e raridades, permitindo experimentar uma nova dimensão da música dos Moonspell.

À medida que a noite avança, a banda não só mostra o seu virtuosismo musical, mas também uma ligação genuína com o seu público. Fernando Ribeiro interage constantemente com a audiência, partilhando anedotas e reflexões que fazem desta noite algo mais do que um simples concerto, transformando-a numa celebração da sua trajetória e da lealdade dos seus seguidores.

O encerramento do concerto, com uma versão inovadora de «Full Moon Madness», deixa todos com a sensação de terem feito parte de algo especial. Enquanto as últimas notas ressoam na Casa das Artes, a ovação é ensurdecedora, um testemunho do impacto duradouro dos Moonspell na cena musical portuguesa e além.

Em resumo, a atuação dos Moonspell em Arcos de Valdevez, onde esgotaram os bilhetes, foi um sucesso rotundo, uma noite inesquecível que reafirma por que esta banda continua a ser uma das mais queridas e respeitadas em Portugal.

Texto: Noelia Alvariño

Fotos: Nuno Vieira