Banner Top

Roots of Ascendant – “Holy Beginning Is the End”

 

Data: Janeiro/2024

Edição: Autor

Formato: Digital

Roots of Ascendant, um projeto a solo, lavrado por Renan Ângelo, lançou o seu primeiro longa-duração, intitulado “Holy Beginning Is the End”, no início de 2024.

Este álbum, que conta com 9 faixas, totalizando 46 minutos de duração, é sinónimo de resiliência por parte do seu único integrante, Renan (ex- Saturndust), que, após ter visto o baterista Lucas Barbosa (ex- Ström) abandonar o projeto, decidiu ir mais além, aproveitando a oportunidade para estudar produção musical e complementar o álbum com bateria programada.
A componente DIY de “Holy Beginning Is the End” é bastante identificável, tanto pela positiva, neste caso, a experimentalidade do projeto, como pela negativa, notando-se por vezes alguma falta de maturidade.

A componente de experimentação é bastante audível no começo da primeira faixa, que leva o nome do álbum, sob a forma de detalhes sonoros de um piano programado e, ao longo de todo o álbum, sob a forma de diversas abordagens vocais distintas, como é o caso das últimas duas faixas, “The Roots of the Tree” e “Aos Mares”, respetivamente.

No que toca à maturidade, “Holy Beginning Is the End” peca em algumas partes, como é o caso da primeira metade da quinta faixa, intitulada “Offline Dimension”, onde a bateria se mostra bastante repetitiva, pouco interessante e, onde, à exceção da parte final da faixa, que é definitivamente o seu clímax, não existe conteúdo suficiente para manter os 10 minutos da faixa suficientemente cativantes.

Contrariamente a “Offline Dimension”, a última faixa do álbum, “Aos Mares”, consegue preencher relevantemente a sua duração de sete minutos, através de boas dinâmicas de baixo e bateria, potência vocal, mudanças de velocidade e espaço para deixar a faixa respirar.

Por fim, destaco a sétima faixa, “Eagle Eye”, que, iniciando com um riff bastante forte, ganha força com a entrada dos vocais, tornando-se numa faixa direta ao ponto, com bons jogos de velocidade e, fruto também da sua brevidade, bastante reproduzível.

No geral, “Holy Beginning Is the End” é um bom contributo na paisagem musical portuguesa por parte de Renan, deixando ainda espaço para melhorias e, como o começo abençoado não será o fim, para novas experimentações.

João Paixão

Nota da Review: 7,5
Nota da Equipa: 7,4