Banner Top

Resurge – “Resurge from Underneath”

 

Data: Março/2024

Edição: Miasma Records & Vomit Your Shirt

Formato: Álbum

Ressurgidos três anos após o lançamento do EP de estreia, “Breeding in Vain” (2021), os Resurge apresentam-nos um álbum de nove temas, totalizando 31 minutos, denominado “Resurge from Underneath”.

Apesar da possível simbologia da duração, “Resurge from Underneath” não é um trinta-e-um. Muito pelo contrário, é uma representação bastante sólida daquilo que deve ser um trabalho de puro death metal.

A banda é constituída por três antigos membros de Underneath, Luís ”Big” Neves (guitarra), Sérgio Garraio (baixo) e Ricardo Neto (bateria), sendo completada pelo proeminente jovem vocalista David Bento.

Iniciamos a jornada no mundo apocalíptico retratado pelo álbum, onde toda a humanidade se encontra corrompida, com “Resurge”, uma introdução potente, que nos guia até à segunda faixa através do chamamento sinistro de David Bento. A segunda faixa, que leva o nome do álbum, não engana ninguém. Logo desde o primeiro riff apercebemo-nos que estamos perante um old-school encorpado que, apesar de não se distanciar muito dos trabalhos do death metal americano dos finais do século passado, prende-nos através dos riffs potentes, bem ritmados e, sobretudo, sujos.

O álbum é bastante consistente e progride de uma forma bastante aliciante, atingindo o seu apogeu com as faixas 7 e 8, “Circle of Death” e “Vehemence”, respetivamente. A primeira, começando de forma mais contida, complementada pelo soar de um sino, atinge um bom equilíbrio entre o abrandamento para respirar e partes dignas de mosh bruto, que, apesar de não ser muito inventiva, é muito bem executada.

Quanto a “Vehemence”, é, sem dúvida, o meu destaque desta obra-prima dos Resurge. Nesta faixa brilha o baixo de Sérgio Garraio, desde a introdução, em que apenas é acompanhado pela bateria, até à entrada, onde é complementado por um riff cavernoso e potentíssimo até mesmo ao interlúdio presente no meio da faixa, que dá um toque especial à mesma. Destaque também para o solo de guitarra na aproximação ao final da faixa e à forma como esta transita para o epitáfio final.

No geral, “Resurge from Underneath” é uma obra bastante bem trabalhada, com tudo aquilo que poderíamos pedir de um disco de old-school, que certamente nos deixa ansiosos por prosseguir a exploração do mundo distópico e apocalítico de Ressurge.

João Paixão

Nota da Review: 8
Nota da Equipa: 8,2